Olhar Econômico

25 dezembro, 2005

Sobre o poder dos Blogs

Grandes empresas descobrem o fenômeno dos diários na rede e investem milhões para ter acesso a esse mercado de jovens

Nem no mais delirante sonho de Aristóteles, o primeiro a definir o conceito de democracia, os cidadãos seriam tão ouvidos ou teriam tanta voz quanto possuem hoje por meio dos blogs, os jornais pessoais na internet. Por dia, são criados 70 mil blogs, o que equivale a uma nova página por segundo. Por hora, os usuários postam mais de 29 mil atualizações em seus endereços. Até meados de dezembro, existiam 23,2 milhões de blogs ativos, segundo a Technorati, principal autoridade de acompanhamento da blogsfera, o mundo dos blogs. O assunto tomou tamanha proporção que, este ano, as gigantes da internet AOL e VeriSign abriram a carteira e compraram empresas da área. Em aquisições feitas com apenas um dia de diferença, em outubro, a AOL pagou US$ 25 milhões pelo Weblogs Inc. e a VeriSign desembolsou US 2,3 milhões pela Weblogs.com. Isso poderia representar apenas o reaquecimento dos negócios da internet – 2005 foi o ano de maior crescimento da rede, ultrapassando inclusive o recorde de 2000, o ano da bolha – mas há muito mais envolvido do que isso. Nesse novo mundo, todos têm o que dizer – e querem ser ouvidos.


Há desde exemplos curiosos, como o www.milliondollarhomepage.com, em que um estudante britânico de 21 anos de idade se propõe a juntar US$ 1 milhão com a contribuição de internautas (detalhe: em quatro meses, ele conseguiu US$ 874 mil) até novidades criadas pela interação que, em última instância, leva a verdadeiras revoluções sociais e na comunicação. Num mundo em que, do conteúdo do celular à página de acesso ao banco, tudo é mídia, isso não é pouco. Tome-se como exemplo o caso do jornal sul-coreano OhmyNews.com. Feito por 25 jornalistas profissionais, ele conta com a contribuição de 33 mil repórteres-cidadãos em todo o mundo. Com 750 mil acessos únicos diários, o jornal eletrônico levou a fama de ter decidido em suas páginas a eleição do presidente Roh Moo-hyun. “OhmyNews é um tipo de praça pública na qual uma geração se encontra, discute e descobre a confiança”, diz Oh Yeon Ho, fundador do jornal. “A mensagem que eles percebem é não estamos sozinhos, podemos mudar essa sociedade.” Lembra o conceito aristotélico de democracia? No Brasil, os exemplos de desejo de interação são inúmeros. Durante a fase aguda da crise do governo Lula, os endereços de notícias mais visitados foram blogs de jornalistas que, juntos, quase alcançaram 500 mil acessos residenciais diários. Tudo isso é apenas o começo. Na blogsfera já há os blooks (mistura de books com blogs), os splogs (o spam nos blogs, criados por robôs) e muitos outros novos termos. Indo além, há a explosão dos fotologs, podcasts, videocasts. A nova revolução da comunicação está apenas começando.

Isto é Dinheiro