Olhar Econômico

22 janeiro, 2006

Imposto: mais um recorde foi batido

A sociedade brasileira pagou R$ 364,136 bilhões em impostos e tributos em 2005 e a Receita Federal bateu recorde de arrecadação anual. Em valores reais, já descontada a inflação, a arrecadação foi de R$ 372,488 bilhões, um crescimento de 5,65% sobre 2004.
Além disso, a arrecadação da Receita Previdenciária chegou a R$ 115,897 bilhões, um crescimento real de 7,23%. O Imposto de Renda e a Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) foram os dois tributos que mais contribuíram para o total arrecadado, R$ 124,618 bilhões e R$ 86,902 bilhões, respectivamente.
Já o maior crescimento foi registrado na CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), 20,6%. Destaque também para as arrecadações do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). No caso de automóveis, o crescimento foi de 18%, reflexo do aumento do volume das vendas de veículos. Já o IPI cobrado sobre os demais produtos (excluindo bebidas) cresceu 13,57% em 2005.
Segundo a Receita, esse desempenho é fruto do crescimento da indústria. A arrecadação da Receita em dezembro foi de R$ 36,994 bilhões, um crescimento de 23,55% sobre novembro e de 7,30% sobre o mesmo mês de 2004. Já a Receita Previdenciária arrecadou R$ 15,966 bilhões em dezembro, um aumento de 12,95% sobre o mesmo mês de 2004.