Olhar Econômico

01 maio, 2006

Propina sem empresário é praia sem sol ...

Uma pesquisa da PriceWaterhouseCooper mostrou que 96% dos 79 presidentes de empresas que faturam mais de 100 milhões de dólares consideram a corrupção o principal problema brasileiro.

Esse resultado fica de outro tamanho se um (basta um) desses 79 senhores disser publicamente o que acha de seus similares dos Banco Rural e Usiminas, empresas apanhadas na malha valeriana.

A idéia de que os políticos e servidores corruptos passam os dias dando e tomando dinheiro deles mesmos é ingênua e matematicamente neutra.

Sem empresários a corrupção é uma praia sem sol. Bem ou mal, o Congresso e a administração pública expõem e punem seus corruptos. O mundo dos negócios melhoraria se além de reclamar da corrupção dos outros, os grandes empresários repelissem os malfeitores com quem convivem felizes. Nunca é demais lembrar que a Fiesp divulgou uma nota de solidariedade à butique Daslu quando ela foi varejada pela Polícia.

Recordar é viver. A Poderosa disse o seguinte: 'Fatos notórios recentes, vivenciados pela sociedade, revelam situação de anormalidade (...) Não há como se manter alheio ou indiferente a essa realidade'. A anormalidade, para a guilda, estaria na ação da Polícia.

Fonte: Coluna de Elio Gaspari, no Correio do Povo/RS